Nasci a 13 de Setembro de 1956, na maternidade da Casa dos Pescadores de Matosinhos.
          
                          








                                            
Venho do seio de famílias bastante humildes, de gerações ligadas à pesca e oriundas da Póvoa de Varzim, Leça da Palmeira, Nazaré e S.Martinho do Porto












Os primeiros anos foram passados principalmente numa casa recuada, na rua Gago Coutinho, com a minha avó materna onde também viviam os meus tios, Hermengardo e esposa. Eram todos muito carinhosos comigo. Ao nosso lado vivia a D. Laurinha, pessoa muito respeitada, amiga dos pobres e dona duma empresa artesanal de conservas de peixe. Foi esta senhora que deu emprego à minha avó e veio a ser, mais tarde, minha madrinha. Desta forma, passei a ter "livre-trânsito" para andar não só pelo armazém, como pelo pátio interior de sua casa, ao estilo antigo romano, muito soalheiro, com um lago de peixes e ainda um segundo pátio, mais elevado, contendo um mirante (do qual se viam as chegadas dos barcos) e uma casinha isolada, para descanso ou leitura, onde muito tempo passei, nas minhas fantasias de criança.











Os anos foram passando lentamente e vivia entre Matosinhos e Leça da Palmeira. Ora na casa da minha avó ora na dos meus pais. 











Com sete anos foi a altura de entrar para a escola. Nessa altura era a idade mínima obrigatória. Comecei na Escola da Praia, na rua Heróis de África, frente ao mar.












Após a quarta classe fiz Exame Nacional de Admissão aos Liceus e Escolas Técnicas. Embora tivesse passado com distinção (20 valores),nas duas instituições, optei por estudar no Liceu D.Manuel II em  Matosinhos. As instalações eram de um antigo palacete, situado na avenida D. Afonso Henriques, hoje usado como Biblioteca Municipal Florbela Espanca. Após um par de anos fomos transferidos para  o novo Nacional de Matosinhos e lá acabei o 5º ano (agora é o nono).














Já em 1974 comecei a trabalhar (de noite) na Texas Instruments até ao fim desta em Portugal em 1998. Após um curso profissional de Tratamento de águas residuais, passei a trabalhar na Ambiporto (Etar do Freixo) onde me encontro até ao presente.
Ao longo da minha vida fui, como toda a gente, fazendo amigos e criando actividades mais ou menos interessantes.
Desde cedo tive inclinação para as artes plásticas e visuais.












Com o advento das tecnologias de computadores, outro mundo se abriu para mim e pude criar formas tridimensionais e tratamento de imagens digitais.
















A vida continuou e em 1977 comecei a tropa na Escola Prática de Transmissões no Porto. Fui colocado em Bragança no Regimento de Infantaria de Vila Real Destacamento de Bragança.














Quando saí em 1978 casei na Póvoa de Varzim com a Orlanda Garrido, uma natural de Lourenço Marques (Moçambique) e tive dois filhos: A Diana e o Pedro.












Agora vivo uma nova experiência: A de Avô e estou fascinado.











    Não deixa de ser curioso como a Natureza nos vai adaptando física e psicologicamente a todas estas situações sempre renovadas. Os nossos interesses vão mudando, algumas lembranças vão ficando e, quando formos, o que fica são as provas do nosso amor e dedicação à família e ao nosso próximo. Os nossos trabalhos também contam, mas isso já é outra história.

Filmes Favoritos:
Saga Star Wars; BrainStorm; Musicais dos anos 40 a 50.

Músicas Preferidas:
Moon River (Andy Williams) ; Father Jonh(Magna Carta) ; Riders on the Storm (Doors); Holding Back the years (Simply Red); How can I tell her (Lobo) ; Czardas (Tchaikovsky); Danúbio Azul (Strauss).


Frase Favorita:
" Ama o teu próximo como a ti mesmo" (Jesus Cristo)