Texas Instruments Samsung Electronics Portugal

Filial da empresa mãe, sediada em Dallas, Estados Unidos num total de 37 fábricas, em 1974.

 











    

































Foi implantada na Rua Eng.º Frederico Ulrich, 2650 em Moreira da Maia, Porto, começando a sua actividade em fins de 1973 num pequeno pavilhão que mais parecia um armazém.
Com um enorme terreno para se desenvolver, foi exactamente isso que aconteceu! Sobreviveu facilmente às mudanças do 25 de Abril de 1974 e chegou a ter milhares de colaboradores directos e indirectos.














Nas suas instalações, além das inevitáveis infra-estruturas de primeiríssima qualidade, gostaria de salientar a cantina, muito airosa e multicolorida. Os interiores eram ricos em azulejos pintados, formando painéis exclusivos. O refeitório tinha capacidade para trezentas pessoas e uma cozinha muito bem equipada.














A cafetaria estava dividida em duas salas (fumadores e não fumadores), ornamentada com várias plantas e um teletexto que nos informava, em tempo real, todas as novidades internas da empresa.  

As refeições eram comparticipadas pela empresa e sempre muito variadas. Esta sala era grande o suficiente para nela se fazerem as reuniões gerais.















Aqui se informava o estado de saúde da empresa, sempre de uma maneira clara. Realçava-se os êxitos (ou não) do nosso trabalho e quais os planos futuros. Invariavelmente eram distinguidos os colaboradores (ou equipas) que ao longo dos meses tinham contribuído com ideias ou trabalhos especiais para o engrandecimento desta fábrica.
O escritório era composto por módulos em armações de alumínio e tecido, cor grená, para serem robustos mas aconchegantes, sofisticados e criarem uma protecção acústica entre cada alvéolo.

Salas de reuniões eram sete e todas tinham retroprojectores, mesas e cadeiras muito confortáveis. Também aqui havia uma boa protecção acústica.  
A limpeza era uma das características fundamentais da fábrica e o seu chão parecia um espelho.
















Todos os anos haviam convívios nos terrenos exteriores (tipo piquenique) para todos os trabalhadores e suas famílias. Também as portas eram franqueadas para mostrar as instalações de fabrico (open house) e cada um fazia questão de ser o cicerone dos seus convidados.
Não faltavam os carrosséis, actividades desportivas, vários concursos, boa música e até à noite havia um mini concerto com um artista conhecido. Lembro-me dos GNR, do Marco Paulo o Avô Cantigas e outros.
Ainda cá fora, tínhamos um bom ringue para futebol, basquetebol, voleibol e dois courts de ténis.
Finalmente também podíamo-nos dar ao luxo de afirmar que, na época, éramos uma das empresas pioneiras a ter uma estação de tratamento de águas residuais (ETAR).
Voltando ao interior, tínhamos uma enfermaria e um consultório médico. Uma cafetaria e mais espaços adjacentes para fazer os “brakes” de dez minutos, cada duas horas. Na parede tínhamos informação constante nos ecrãs de teletexto interno.
A comunicação teve o seu ponto alto com a publicação de revista interna... a TEXOMANIA. Uma revista de todos para todos!












No Outono do ano 1998 o sonho bonito acabou! Esta autêntica instituição exemplar, pela qualidade de trabalho, pelas instalações, pelas condições laborais e tecnológicas e pelos ensinamentos que providenciou, recebeu a pior das sentenças: A cessação definitiva da sua actividade em Portugal. Não foi uma questão directa de dinheiro (ou falta dele), mas sim, uma mudança na estratégia ligada à competitividade dos preços de mercado. Os nossos produtos e equipamentos passariam para outros "países "mais em conta".  Restava saírmos de cabeça erguida, com o sentimento de missão cumprida. Não só provamos que podemos ser dos melhores do mundo a fabricar circuitos integrados, mas também que estamos prontos a adquirir rapidamente qualquer nova política de gestão empresarial, por muito revolucionária que seja.















 
Finalmente, despedimo-nos uns dos outros, com a emoção que se pode imaginar e, com um sorriso, dissemos: “Até um dia, queridos amigos”!