Na concepção da ETAR foram, impostas restrições significativas no que se refere à sua protecção contra a eventual ocorrência de distúrbios ambientais associados à emanação de odores, ruídos, e poeiras. Para permitir a concretização de todos estes objectivos, a ETAR é constituída por módulos de tratamento integralmente fechados, ventilados e desodorizados, sendo as zonas técnicas de implantação dos equipamentos ruidosos isoladas e sujeitas a um tratamento acústico específico.
       














           






Esta ETAR é constituída por três linhas de tratamento: a linha líquida; a linha de lamas; a linha de desodorização. 
A linha líquida, onde se realiza o tratamento das águas residuais efluentes, é constituída pelas seguintes etapas de tratamento: 


    TRATAMENTO PRELIMINAR (destina-se à remoção dos detritos (gradados) com dimensões significativas, areias, óleos e gorduras), é constituído pelas seguintes etapas principais: 

                         Gradagem










    Pretende eliminar as matérias grossas em suspensão e os flutuantes. Essa eliminação é realizada fazendo o efluente passar entre as barras de uma grade com um espaçamento de 6mm. 
A predominância do tipo de detritos vai para a existência de trapos de grandes dimensões e artigos de higiene feminina.
O efluente que aqui passa é ciclicamente recolhido num amostrador automático para posterior análise. 
As matérias retidas são recolhidas para um contentor, e posteriormente enviadas para incineração (ou aterro sanitário).
                                           

                        Remoção de areias e gorduras: 













    Executado num tanque específico (Desarenador/desengordurador), contém por decantação, as partículas superiores a 0.2 mm, prevenindo assim avarias nos sistemas a jusante.
  
Através duma ponte raspadora com um sistema de aspiração que transporta os areados para um classificador, lavando-os, e posteriormente são armazenados num contentor. 
As gorduras são flotadas por meio de agitadores de ar comprimido em direcção á superfície. 

A ponte raspadora ao fazer o seu ciclo vai empurrar essas gorduras, depositando-as numa calha que leva ao tanque de acesso ao reactor biológico de gorduras. 


     TRATAMENTO PRIMÁRIO (destina-se à remoção da componente sedimentável dos sólidos em suspensão existentes na água residual), compreende as seguintes etapas: 

                        Decantação primária lamelar. 













    Este processo apoia-se numa construção com alvéolos hexagonais, à base de lamelas em plástico tipo Melamine.
As lamas, no início têm tendência a se depositarem nas paredes, acabando, devido ao seu peso, por se soltarem e deslizarem para o fundo do tanque.

Seguidamente os raspadores de fundo vão empurrá-las para uma zona final de extracção (tremonha), sendo bombeadas para a área seguinte.

Simultaneamente, a água (à tona) passa pelos descarregadores e seguem para o reactor biológico. 


    TRATAMENTO SECUNDÁRIO (destina-se á remoção dos compostos de natureza orgânica e dos nutrientes (azoto e parte do fósforo) existentes na água residual), esta etapa inclui as seguintes fases principais: 

      Reactor biológico constituído por duas zonas (anóxica e arejada) 
















É verdadeiramente aqui que a matéria orgânica é consumida pelos microrganismos que existem nestes tanques. Uns vivem sem a presença do Oxigénio (Zona Anóxica) e outros, tal como o ser humano, já necessitam desse gás para viverem. 
           
            Decantadores  secundários 











     TRATAMENTO TERCIÁRIO (destina-se a efectuar a desinfecção da água residual de modo a permitir a sua posterior reutilização como água industrial e na rega de espaços verdes). A desinfecção é realizada por acção de radiação ultra-violeta em 2 canais onde estão instalados módulos de lâmpadas UV. 














DESIDRATAÇÃO DAS LAMAS DIGERIDAS. 

As  lamas, após terem sido digeridas são desidratadas até um teor em sólidos de 30%.. Para isso  utilizam -se centrifugadoras que trabalham em conjunto com um químico chamado polímero, que tem a função de agregar ao nível atómico as partículas das lamas, transformando-as em flocos.


















    ESTABILIZAÇÃO QUÍMICA. As lamas desidratadas são, ainda, sujeitas a uma etapa final de estabilização química com cal viva, destinada a garantir urna estabilização perfeita das lamas antes do seu transporte a destino final.   







As lamas são armazenadas num silo com capacidade para armazenar 16o m3 de lamas.   









VALORIZAÇÃO DO BIOGÁS

O biogás produzido pelo precesso é armazanado num "balão" e posteriormente usado para:

- Aquecer as lamas através da combustão em caldeiras
- Agitar as lamas nos digestores
- Cogeração  ( para criar energia eléctrica )


          Esquema do  aproveitamento do biogás para aquecimento das lamas; 

  


















    Todo o processo de limpeza das águas domésticas baseia-se na própria Natureza.
É muito positivo, que a Humanidade através dos seus cientistas venha, constantemente, criar cada vez mais e melhores métodos de preservar o nosso planeta. 
O conhecimento é fundamental, bem como a pesquisa em vários campos da tecnologia. 
No fundo, todos damos as mãos para enfrentar com mais facilidade os ataques ao futuro ambiental dos nossos filhos e os filhos deles.
O Planeta agradece!